domingo, 9 de setembro de 2012

O Rio


"Deixa-me seguir para o mar
Tenta esquecer-me...
Ser lembrado é como evocar
Um fantasma...
Deixa-me ser o que sou,
O que sempre fui, um rio que vai fluindo...
Em vão, em minhas margens cantarão as horas,
Me recamarei de estrelas como um manto real,
Me bordarei de nuvens e de asas,
Às vezes virão a mim as crianças banhar-se...
Um espelho não guarda as coisas refletidas!
E o meu destino é seguir... é seguir para o Mar,
As imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar...
Toda a tristeza dos rios
É não poder parar!"

Mário Quintana 



A tristeza de um rio, de não poder parar... E quantas vezes somos nós, quem não temos essa parada. Quem não temos esta beleza?
Nestes dias, pude perceber que viver correndo, com os minutos contados, com os compromissos agendados, me fez até perder minha saúde.

De que adianta, poder ter algo se não posso usufruir dele?

Dei um grito de libertação que me fez me comprometer com uma coisa: calma, paz, tranquilidade. Sem correria, sem comer sem sentir o gosto da comida.

Ontem, passeando por São Paulo, usei várias vezes o metrô. E, claro, fiquei observando as pessoas, em sua correria diária, indo ou voltando do trabalho.
Percebi que a correria era tanta, que mesmo na escada rolante, as pessoas vão andando, correndo, tudo pra não perder tempo, para voar.

Voar.
Passar rápido.
Eliminar etapas.
Cumprir logo o esperado.

Lembro do filme Click. Comédia dramática linda. Lembram?

Talvez a correria é tanta, que provavelmente quando você leu a poesia acima, não conseguiu degustá-la e perceber o quão bonita ela é. 
O que fazemos conosco mesmo, é um pecado. Um sacrilégio.

"Deixa-me ser o que sou,
O que sempre fui, um rio que vai fluindo..."

O quanto nos mudamos, nos tornamos algo que não somos. Não aceitamos nossa natureza.

"Às vezes virão a mim as crianças banhar-se...
Um espelho não guarda as coisas refletidas!"

Quantas memórias lindas teremos de coisas tão triviais que muitas vezes não lembraremos, nem sequer no momento, nos daremos conta de que são coisas lindas.

"E o meu destino é seguir... é seguir para o Mar,
As imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar..."

Nossa vida é corriqueira. O tempo passa por nós sem piedade.
É carnaval. Quando percebemos já chegou o natal.
Não vemos mais os meses passar. Até Agosto, que sempre foi um mês pesado, demorado, passou voando e eu não vi.
Não conseguimos guardar nada, a não ser coisas materiais, que na verdade não nos pertencem ao certo, e não poderemos levá-las a lugar nenhum quando nos formos.

Nosso destino é seguir. sempre seguir.
O desafio é não perder as imagens do caminho, o que aprendemos, desaprendemos, criamos, crescemos.

"Toda a tristeza dos rios
É não poder parar!"

Assim como nós...


Boa semana, gente!

33 comentários:

  1. Oi flor, vi seu comentário e vim retribuir a visita, estou seguindo aqui. Linda poesia, as pessoas vivem num correr sem fim, e a desculpa é sempre falta de tempo para tudo, acho que não vale a pena este tipo de vida que não permite perceber as coisas em volta, usufruir da simplicidade das pequenas coisas, se um dia acordarem, e se derem conta disto, vai ser muito triste.

    Bjos,

    Mony
    Um blog sobre esmaltes


    Bjos,

    Mony
    Um blog sobre esmaltes

    ResponderExcluir
  2. Oii Moça, ótimo texto de Mário Quintana e excelente reflexão, a vida é isso mesmo, um correr contante p se chegar onde sequer sabemos se vamos chegar, não olhamos p nós mesmos, não usufruímos de verdade momentos especiais que deveriam ser melhor observados, os rios correm sem parar e a nossa vida tbém, acho que é por isso que gosto tanto de viajar, qdo viajamos trocamos a pilha p começar a correr de novo rrsr bjooosss

    ResponderExcluir
  3. Linda reflexão, nos faz pensar em dar mais valor as coisas que acontecem a nossa volta!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. LInda demais essa sua postagem, faz a gente pensar um pouco nas coisas.
    Bjinhos
    conversando-com-a-lua. blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Muito linda a postagem!!! Refleti bastante!!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Nossa!! Que lindo..
    Palavras verdadeiras..
    Muitas vezes deixamos o tempo passar sem aproveitá-lo verdadeiramente..
    Isso é triste.. triste mais verdadeiro..

    Adoro esse filme..
    Acho que já assisti umas 10 vezes... srsr

    Beijokas
    Sheila

    ResponderExcluir
  7. linda a poesia e legal o seu blog, curti (:
    obrigada pelo comentário no Martina nas Viagens
    volte sempre
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá querida,

    Bela blogada.
    Quintana é ímpar e você soube explorar a beleza e o sentido de cada verso do belo poema.
    É necessário aprender a lidar com a correria e os compromissos que a vida nos impõe, nunca se esquecendo da pausa salutar para respirar e se reabastecer com as belezas do caminho. O tempo urge! Saibamos vivenciá-lo.

    Felizes dias.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Bela poesia, ele é um autor maravilhoso.
    E devemos sempre aproveita nosso tempo, devemos tirar lições dos rios.

    blogbookteen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Ola Moça,
    Muito bom essa reflexão,
    junto com a poesia de Quintana.
    Eu já estive nessa correria, mas a saúde também falhou e
    eu aprendi a viver somente 24h no dia.
    Gostei muito.
    Beijos e um resto de dia com
    flores perfumadas.
    ps:quando eu escrevo, nem sempre vivo
    o que descrevo, rs.

    ResponderExcluir
  11. Ameiiiiiii seu blog não conhecia =)
    Passa lá depois tem post novo e iria adorar ter um comentário seu :
    http://muitamodaebeleza.blogspot.com.br
    Beijossss NAT=)

    ResponderExcluir
  12. Muito lindo a poesia, seu texto, parabéns. Pura reflexão!!
    Beijos e uma ótima terça.

    ResponderExcluir
  13. Olá Moça,

    Todo o mundo vive correndo sem conseguir saborear as coisas boas da vida.

    Grata por seu comentário.
    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir
  14. Oi adorei o blog.
    Já estou seguindo,se puder retribuir vou adorar.
    Convido vc a participar do sorteio de um biquíni super fofo lá no blog.
    Vou adorar receber sua visita no meu cantinho.

    http://www.alinefashionmoda.com/

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Que bom seria se todos nós conseguíssemos viver longe dessa correria. Adorei o texto.

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  16. É, verdade: o tempo passa por nós sem que percebamos. Não perceber o tempo passar faz com que deixemos de fazer coisas e de viver momentos, achando que termos um tempo para isso mais a frente.
    Infelizmente, isso já aconteceu comigo e por causa da correria do dia-a-dia não me dei conta de algumas oportunidades e acabei perdendo-as. O bom é que esse mesmo passar do tempo nos trás maturidade e vamos nos tornamos mais conscientes dessas oportunidades únicas.

    osonhodeumaflauta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Aimôpai! kkk A moça, né brincadeira não! kkkk

    O que há de se dizer deste magnífico poema do Quintana, abrilhantado ou complementado com seu texto porreta? É só agradecer!

    Eita moça retada meu Deus! kkkk

    O Sibarita

    ResponderExcluir
  18. Disse tudo!! Realmente vivemos numa correria sem fim, que não temos tempo de aproveitar nada..lindo texto para reflexão.Abraços.Sandra

    ResponderExcluir
  19. Realmente e bom parar, observar, curtit as coisas boas, porém , infelizmente temos essa vida agitada demais!!!:(
    Adorei o texto..
    Bjoks
    Pri

    www.epocaboutique.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi Moça!
    Ótimo texto.
    Aprendi uma coisa na minha vida, a minha qualidade de vida deve ser priorizada.
    Mudei para uma cidade aonde tenho isso, sai da loucura de sampa. As vezes a grana é menor e etc, mas a qualidade de vida aumentou demais, de que adianta dinheiro se não conseguimos usufruir dele de forma saudável?
    Beijos
    http://www.terapiafeminina.com/

    ResponderExcluir
  21. Confesso que por vezes sinto-me como um rio e não gosto do rumo das coisas e nem do fato de não poder mudá-lo; mas em outros momentos prefiro deixar a vida me levar, quando estou cansada demais para pensar muito no que fazer.

    adorei seu blog e adoraria se me seguisse!

    ResponderExcluir
  22. Olá Querida!
    Temos tanta pressa para tudo hoje em dia, que não apreciamos a beleza do que está a nossa volta. Adoro Mário Quintana!

    Beijos,

    www.noivadoedgar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Adorei o texto e confesso que só depois que terminei de ler o post eu voltei e li toda a poesia do Mário com mais atenção... parece que a gente vive apurada, cheia de coisas ra fazer e se esquece de viver... ;D

    Muito obrigada pela sua visitinha em meu blog!

    Beijão e bom final de semana!

    izabellaniquito.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é menina! a gente passa tao correndo, perde de ver as lindezas das poesias!

      Excluir
  24. Olá, linda. Segue o meu blog, que eu sigo o seu, tá?

    fashionpassionomg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. Um excelente post, como é habitual em si.
    Desejo que esteja bem.
    Beijinho
    Irene

    ResponderExcluir
  26. Oi Moça,
    Amei o texto,teus comentários...nessa correria urbana nem sempre paramos e observamos a nossa vida,quando vemos já passou e o momento já não é mais o mesmo.
    E momentos perdidos podem fazer falta,assim como não dar espaço para a vida se movimentar naturalmente.
    um ótimo final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
  27. Olha, um dos textos mais lindos que já li. Pela fluidez do ensinamento que passa a quem lê. Poesia que atinge o mais íntimo da alma. E nos conduz a uma importante reflexão. Parar. Às vezes é preciso, para degustarmos das etapas. Vi o filme Click, e até hoje ele me oferece aprendizados.

    Não podemos deixar os momentos importantes passar. Nem deixar de desfrutar as coisas boas da vida. Ultimamente é tanta a correria que mal notamos o tempo passar. Da forma como 2012 está quase no fim e mal percebi. É triste constatar. Tristeza é nos tornarmos como correntezas que não tem a chance de parar.

    Mas podemos mudar. Podemos...

    Lindíssimo texto!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Alexandre! fico lisonjeada com as suas palavras!

      Excluir
  28. Eu estava um bocado apressada, confesso. Correndo pra responder os coments do blog porque prometi pra mim mesma que farei isso uma vez por semana - a cada domingo, mais especificamente. E mesmo estando super cansada, minha rigidez me impediu de me jogar na cama sem dar uma olhadinha no blog. Mas aí, eu me deparei com uma poesia desse velhinho maravilhoso que é o Mário Quintana, respirei fundo, e comecei a ler de novo, com a calma que ele merece. E foi com essa calma que li todo o seu post, e é com essa calma que eu te escrevo agora. É, meu bem. Precisamos mesmo de menos correria. Obrigada pelo lembrete. Beijo!

    ResponderExcluir
  29. São tantos os comentários que me sinto intrusa aqui e acabo esquecendo que tenho que fluir como o rio que vc e o poema se refere, tenho tentando me entregar e viver mais, e sempre tenho comigo em viver o presente, cada segundo como se fosse o ultimo, não sei se faço isso devido a saúde ou a um conjunto de idéias e filosofia de vida só sei que me faz bem. e a vida é tão intensa que quando perdemos pedacinhos dela é como seum pedaçinho significante nosso de esvai. saudade moça dos seus comentários, meu blog é bem acessado , percebi esses tempos o tanto de acesso, mas não é tão comentado, acho que meus escritos são intimistas tlavez, mas sei que pessoas passam por lá e apenas leem e isso ja flui o rio que sei que não vai parar. beijo moça!

    ResponderExcluir