domingo, 16 de junho de 2013

Quando a hora é a hora?

E então você tem que decidir tanta coisa, tem que saber o que quer, tem que saber escolher, tem que saber como agir com sua escolha, tem que arcar com as consequências, tem que lidar com perdas, tem que lidar com os ganhos.

Seria fácil se pudéssemos prever. Se a gente soubesse que a escolha que tomássemos, que o caminho escolhido fosse só de alegria e gozo. Mas também seria uma escolha confortável, sem riscos e muito provavelmente sem a felicidade da recompensa da escolha pura.

Talvez seja um bem não poder adivinhar e ter de ter a coragem de escolher. Confere à decisão maior direito de colher os frutos dela. Dá um gosto de: Escolhi este caminho e mereço os frutos da alegria desta escolha.

E quando? Quando se sabe que o momento é o certo pra decidir? Tanta coisa que muda, tanto medo que traz, tanta coisa que pode ser errada. Tanta coisa que pode ser certa, tanta alegria que pode vir da mudança, tanta coisa que na verdade era mudança, mas que parece que é natural. Alegria é perceber que algo novo parece ser seu desde há muito tempo, de tanto que faz parte de um pedaço seu. É como se o novo já existisse, dentro de cada um.

O momento? Agora é Cedo ou Tarde demais? Não saber é desconfortante. É sufocante. É pesado. O ruim é ir vendo o tempo passar, arrastando a hora de escolher, a hora de escolher por que porta entrar. 

E talvez seja este o grande sentido da palavra CRESCER. Ter responsabilidade pelas escolhas e ser merecedor do que elas trazem. Decidir por si só. Pensar além do bem e do mal. Deixar o medo pra trás. Olhar com fé para um novo futuro.

Um sinal. Podia haver só um sinal, pra encorajar, motivar. O sinal seria a paz do olhar e do coração? Seria a confiança e o apoio? Seria a coragem que vem em momentos estranhos. 
Como dizia a letra: "toda vez que algo nos falta, o invisível nos salta aos olhos..." (Piano Bar). Quem sabe... 


- Já tentou de olhos fechados?
- Se tudo se resolvesse assim...
(Dialógo do filme Medianeras - Vou escrever sobre ele ainda!!!)

Nada como um chá de camomila num domingo chuvoso, ouvir De Fé (Engenheiros do Hawaii), lembrar que tenho muito mais dúvidas, do que certezas e que hoje, com certeza
eu só tenho uma coisa, e que isso deve bastar pra ter a coragem de agir... cair no sono e esperar que tudo se resolva. Rápido.


"Sempre que eu preciso
Me desconectar
Todos os caminhos
Levam ao mesmo lugar
É meu esconderijo
O meu altar
Quando todo mundo
Quer me crucificar...

Eu só quero estar
Com você!
Ficar com você!...

Quando o tempo fecha
E o céu quer desabar
Perto do limite
Difícil de agüentar
Eu volto prá casa
E te peço prá ficar...
Em silêncio
Só ficar...

Eu tenho muitos amigos
Tenho discos e livros
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você...

Tenho sorte e juízo
Cartão de crédito
E um imenso disco rígido
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você
Quando eu mais preciso
Eu só tenho você...

Tenho a consciência em paz
(Só tenho você)
Tenho mais do que eu preciso
(Só tenho você)
Mas, se eu preciso de paz
Eu só tenho você
Tenho muito mais dúvidas
Do que certezas
Hoje, com certeza
Eu só tenho você...

Eu tenho medo de cobras
Já tive medo do escuro
Tenho medo de te perder..."

Gostei de ler o que li aqui no blog da Aline Teles...

15 comentários:

  1. Isso, moça! Crescer é, em essência, aprender a ser responsável pelas próprias escolhas. Belo post, boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá, bela mensagem, quem dera sabermos tomar a decisão certa e na hora certa, bem dizem que é errando que se aprende.
    Bjos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. "Ter responsabilidade pelas escolhas e ser merecedor do que elas trazem." Com certeza isso é crescer! Belo post!

    ResponderExcluir
  4. Minha linda, ter dúvidas é sinal de maior inteligência e sabedoria do que ter certezas, sabe?

    Trouxe-,me à memória um livro de um grande pedagogo portuguès chamado João dos Santos:"Se não sabe, porque é que pergunta?"

    Beijinhos, muitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, se nao sabe, porque pergunta? adoreiiiiii

      Excluir
  5. Em algumas situações sempre pensamos que seria melhor saber se aquilo daria ou não certo, mas no final sempre é válido arriscar e sentir na pele as consequências das nossas escolhas. Isso traz maturidade e crescimento para nós!
    Belo post! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Opa! Fui citada pelo seu lindo blog. Obrigada!
    Não podemos prever quais serão as consequências das nossas escolhas, eis o grande desafio da vida. A vida é um risco. É através das nossas escolhas que vivemos. É vivendo que se cresce. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Citei pois adoreiiiiiiii o que vc escreveu, como sempre!

      Excluir
  7. As mudanças fazem parte da vida, às vezes temos medo do que vem pela frente, mas faz parte do crescimento e aprendizado. Boa sorte nas mudanças!

    Camile
    http://camilando.com/

    ResponderExcluir
  8. Acho que há um sabor especial nas escolhas, quando feitas no escuro. Porque é difícil prever o que nos espera. É corajoso seguir adiante, em busca do encontro fidedigno com a alegria. Pode haver encontros dolorosos, mas faz parte desta roda gigante que é a vida. Nunca sabemos quando ela irá para e onde nos colocar.

    Bonito é seguir em frente, mesmo sem vislumbrarmos direito o caminho à frente. A vida nos exige esse passo. É reconfortante, mesmo que tropecemos algumas vezes, encontrar e vivenciar tesouros e momentos felizes.

    Viver é a arte desse encontro proporcionada pelas escolhas. Sadias e corajosas.

    Beijo Moça!

    ResponderExcluir
  9. Sou simplesmente apaixonada por esse filme. Aguardo ansiosa teu post sobre ele aqui. me avisa?
    Um beijo,
    Re.

    ResponderExcluir