terça-feira, 30 de outubro de 2012

O Que Esperar Quando Você Está Esperando




Ontem assisti o filme "O que esperar quando você está esperando", baseado no livro de sucesso de mesmo nome.

O filme é muito interessante e deveria ser visto pelos casais que estão em via de ter filhos. Trata de vários aspectos da chegada dos filhos... Gravidez planejada, não planejada, adoção e as mudanças que envolvem um homem, uma mulher e o casal em si. 

Homens de plantão: não sejam preconceituosos e assistam se puder.

Mas o que mais me chamou a atenção no entanto, foi um medo, receio, apavoramento mesmo que tenho sobre a decisão do tipo de parto.
Ainda não sou mãe, mas este assunto já me assombra.

Morro de medo de parto normal. As mulheres de minha família tiveram dificuldade com ele e por isso quando penso na escolha do parto, logo penso em cesárea.
Acho mais segura, mais cômoda, menos dolorida e me inspira mais paz.

Médicos e estudiosos dizem que parto normal é a melhor opção. Mas veja a seguinte citação, retirada da Revista Veja:

"Há quatro anos, em um congresso da categoria, o professor Marcelo Zugaib, chefe do departamento de obstetrícia e ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, dedicou sua concorrida palestra àquele que então considerava um princípio irrefutável: parto bom é parto normal. Foi duro e incisivo, qualificando de antiéticos os colegas que abusavam da "cesariana sem necessidade". Saiu do palco aplaudido por centenas de médicos, todos defensores do pensamento dominante. No mês passado, em outro congresso, Zugaib novamente foi convidado a proferir palestra. O título, dessa vez, era uma pergunta que por si só indica a virada na forma como os profissionais sérios abordam a questão: "Resgatar o normal é válido?" Ao microfone, o obstetra desdisse boa parte do que havia defendido com tanta veemência antes. Qualquer casal que conte com bons médicos e bons hospitais, declarou, pode e deve optar exatamente pelo tipo de procedimento que julgar mais conveniente. Se quiser se preparar para um parto normal, tudo bem; se desde a primeira consulta preferir cesárea, também não há problema. 

"Antigamente, tratávamos a cesariana como os religiosos tratavam os pecadores na época 
da Inquisição", reconhece Zugaib. "Continuo a favor do parto natural. Mas, com os avanços tecnológicos e as mudanças de costumes, não condeno mais a cesárea. Cada caso é único e cabe ao médico dar todas as informações para que o casal faça sua escolha.""

Se pensarmos que o Brasil é o campeão em cesarianas, cabe uma nova análise ao tema. Por que será que tantas mulheres optam por este tipo de parto?

Será que são os médicos? Será pela facilidade de agendamento de datas e horários convenientes?

Não sei. Acredito que sejam uma série de fatores. Eu particularmente penso que a cesarea seja a melhor opção, para pessoas como eu: nervosas, agitadas, com pânico de parto normal, com medo de ter dores, com medo de não ter força. Penso que hoje em dia uma cesariana é simples, segura, causa muito menos dor e tem recuperação rápida. 

Acredito que diante de tantos medos que tenho, é melhor que eu opte pela cesariana e tenha um parto tranqüilo. A calma e tranquilidade nesse momento tão importante e feliz na vida de uma família deve ser priorizada.

O fato é que este tipo de parto tem sido feito muitas vezes desnecessariamente, visando apenas a comodidade, do médico e da paciente. O que aí, gera um risco desnecessário. 

Na mesma matéria da Revista Veja, Marcelo cita outro aspecto importante: "Também não considero a cirurgia a opção ideal para a saúde pública porque, além de ser mais cara, não temos qualidade suficiente, em matéria de médicos e hospitais, para garantir a taxa mínima de risco de um parto normal. Mas quem tem acesso a serviços e atendimento de primeira linha pode se sentir muito melhor fazendo uma cesárea."

Antes, as vantagens da cesariana eram muito poucas, se tomássemos suas desvantagens: anestesia, corte, dor no pós-parto, mulheres encurvadas caminhando devagarinho, encolhidas, pelos corredores da maternidade. As mães que pediam este tipo de parto eram consideradas mimadas, imaturas, despreparadas até para os imensos sacrifícios exigidos pela maternidade. 

Hoje, o corte na barriga não passa de 10 centímetros e os pontos são absorvidos pelo organismo. O anestésico, além de ter menos efeitos colaterais, é injetado com uma dose de morfina que permite à mulher não sentir dor alguma no primeiro dia. Quando seu efeito passa, ela já está se movimentando normalmente e a dor residual é bem menor. Que mulher resiste?

Eu queria muito ter coragem para um parto normal. Mas por enquanto minha escolha seria cesarea.

E vocês? O que pensam disso? Os pais, as mães, os futuros. Qual seria/foi a escolha de vocês????

Ah, e por pura curiosidade, o termo cesariana vem do latim caedere, cortar, e da lenda que diz que César, o futuro imperador romano, teria sido tirado por um corte da barriga da mãe agonizante.
Interessante, né?

30 comentários:

  1. Oii Moça, eu fiz duas cesarianas e com anestesia geral em ambas, corri risco em ambas gestações, na primeira eu tinha 30% de chances de não aguentar e na segunda 60% de chances, fui entubada e tudo que puder imaginar, várias pessoas doaram sangue p mim caso precisasse, eu não podia ter engravidado da segunda vez depois do que passei na primeira, engravidei por acidente e hoje graças a Deus a Manoella está firme e forte e eu tbém! O problema todo é que eu sofro de uma anemia crônica, na minha primeira gravidez fiz onze transfusões de sangue e na segunda fui internada 8 vezes, passei praticamente a gravidez toda no hospital, foram dias bem difíceis, minha família sofreu muito com medo que eu não aguentasse, no dia que a Manoella nasceu a família inteira fazia orações na capela do hospital, o médico deixou claro que eu só tinha 40% de chances! No meu caso não tinha nem como cogitar parto normal, graças a Deus passou, hj tenho saúde, minha anemia é bem controlada e minhas filhas não herdaram o problema! Bjoooss

    ResponderExcluir
  2. Agradeço todos os dias por ter nascido homem,
    ser mulher deve ser foda.

    ResponderExcluir
  3. Ô dona moça! kkkk Ao que sei o parto normal é tudo de bom, viu? Pense... kkk

    A cesariana só em último caso, repare... kkkkk

    Excelente texto!

    o Sibarita

    ResponderExcluir
  4. Blog novo! Vem comigo?

    http://manuellamontesanto.blogspot.com.br

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Costumam falar que o parto normal tem uma recuperação muito melhor que o cesárea. De qualquer forma, conforme pessoa e médico é que se deve tomar a decisão. No que consiste a saúde da pessoa, o risco da gravidez, enfim. É difícil pra mim opinar, sendo homem. Mas creio que o parto normal tem um pós-parto melhor...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Quem é esta mocinha linda? Perguntei.
    Vim investigar e encontrei este artigo tão interessante.
    Pessoalmente, posso testemunhar dois partos naturais, sendo que, apenas o último teve sedação. Parto natural é obra! Não faz sentido sofrer esse horror.
    O segundo foi bem mais humano.
    Aqui fica o meu testemunho.
    Fico como seguidora.
    Deixo o convite para que me siga também.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho pânico de dores: quando algum médico me manda fazer exames ou coisa do género , a primeira perginta é se é doloroso, rrrsss

    No entanto,meu único parto foi natural: cerca das 9H a parteira cortou o saco para saída do líquido amniótico , induziu a dilatação , me deu anestesia e o meu filho nasceu às 11, 45H. Não lhe vou dizer que não tive dores, mas assim que ele saiu foi um alívio instântaneo.Mas meu filho fez quarenta anos em Maio último.

    Continuo achando a melhor maneira. Tanto mais que, como no caso de uma prima minha (cuja filha fará 17 anos no próximo Janeiro) , a parturiente pode tomar epidural .

    Cesariana, para mim, só quando necessária mesmo. Tenho duas amigas com três filhos cada e sempre as crianças nasceram de cesariana por impossibilidade de parto natural.

    Não podemos esquecer que cesariana é sempre uma cirurgia, com todos os riscos implícitos nesses casos.

    E Também pode ser que tenha um parto muito rápido e nem tenha tempo para nada, porque a criança nasce quase sem dar por issso, rrss

    Há anos, uma senhora vivendo no Alentejo já no termo da gravidez começou a sentir umas vagas dores em casa e se dirigiu sózinha e a pé ao Hospital (que não era assim tão longe quanto isso), onde lhe disseram que voltasse para casa que era alarme falso...pois quando estava entrando em casa teve que gritar pela vizinha porque a criança nasceu ali mesmo, rrsss


    Uma boa semana

    ResponderExcluir
  8. Adorei, eu nasci e parto normal, meus sobrinhos tb...
    Não acho tão aterrorizante!rs
    Eu não terei filhos, mas acho q optaria pelo normal tb!
    Bjoks
    Pri

    www.epocaboutique.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oiii... vim retribuir a visita e encontrei algo que muito me agrada, sou louca pra ser mãe e se puder escolher, vou de parto normal! Beijinho

    ResponderExcluir
  10. Sou a favor da cesariana.
    Gostei do texto;

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Menina morro de medo daquela anestesia, tive dois partos normal e faria tudo igual. Isso é lenda na hora de nascer o bebe, agente se esquece de tudo, só queremos ver eles vivos e saudáveis. Não tenha medo de nada tudo vem na hora certa e de modo certo.
    Bjos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  12. certo que não tenho voz muito ativa sobre o assunto, porque sou homem. Mas todos os meus 4 filhos nasceram de cesarianas... sem qualquer problema! Espero que isso a ajude a decidir... e boa sorte nessa hora! :) Boa semana.

    ResponderExcluir
  13. Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
    Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
    Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
    Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

    ResponderExcluir
  14. São mudas as neblinas nesta ilha
    É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
    Oiço o mar com os meus próprios dedos
    Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

    Parti e deixei no cais mil dúvidas
    Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
    Nesses dias bebi sofregamente a vida
    Nesses dias a minha alegria era incontida

    Uma radiosa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  15. Ainda não sou mãe, mas quando o momento chegar gostaria de ter um parto normal. Mas a gente sabe que muitas vezes não é possível, então... vale tudo, desde que o bebê chegue com saúde!

    ResponderExcluir
  16. Olá Moça!! É uma escolha muito difícil de fazer, tem que se ponderar muitas coisas. Gostei muito do seu post e fiquei me perguntando: "O que será que levou o Dr. Marcelo a mudar o seu discurso tão incisivo?"
    Obrigada pela visitinha!

    Tenha uma boa semana. Fabiana.
    www.sabornoprato.com

    ResponderExcluir
  17. Deve ser ótimo esse livro e o filme também, ainda mais para os casais futuros papais e mamães rsrs
    bjinhos
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro e nem o filme. Interessante ter obras que tratem sobre este assunto. É bom ir pensando sobre o assunto desde cedo.

    Beijos

    O mundo sob o meu olhar

    ResponderExcluir
  19. Nunca tinha ouvido falar nem do livro e nem do filme mas parecem ser bem legais haha

    http://deliriosdeumcloset.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi, Moça!

    Esperar uma criança saudável e feliz, é o que toda a mãe e pai querem.
    Parto normal será, talvez, o ideal, mas se existe a epidural porquê sofrer, então?
    Os conceitos, em todas as ciências, evoluem.

    Boa semana.
    Beijos da Luz.

    POS: ainda não há atualização em meus blogues.

    ResponderExcluir
  21. Então para os jovens casais será um filme com muito interesse.
    Gostei de ler o texto.
    Beijinho
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  22. Puxa que interessante.
    Nessa quarta feira que passou, estive conversando com meu professor
    de flauta e ele disse pra mim: Nathalia, Transe muito e tenha filhos, eu o retruquei com apenas careta. _ Mas ter filhos?
    Ele respondeu: _ sim, tenha filhos eles serão sua continuação.


    Essas coisas estão fora de cogitação, pra mim.

    ResponderExcluir
  23. O filme é mto divertido, mas sem duvidas o livro é mto melhor (como a maioria).
    É uma ótima dica.

    Hey se ainda não me segue, dá uma seguida?
    adoraria que lesse meu último post pra comentar.
    diademegalomania.blogspot.com

    obrigado

    ResponderExcluir
  24. Olá.

    Uma coisa é certa.
    A vida espera
    das vidas
    que amam,
    o gerar alegria,
    e o amar intenso.

    Que haja sempre
    sonhos por sonhar.

    ResponderExcluir
  25. A chegada de um filho é tão sublime que a alegria e a ansiedade de o/a ter nas mãos supera todos os medos.
    O resto são pontos de vista e tudo tem os seus prós e contras.
    Mas um asunto sempre interessante.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  26. Aguardo o novo post, Moça. Boa semana!

    ResponderExcluir
  27. Não tema o parto normal, eu tive meus dois filhos de parto normal, o primeiro o parto foi mais demorado, senti mais dores, já o segundo foi tranquilo, praticamente não senti dores.
    Hoje em dia mesmo pelo SUS; que foi o meu caso, cerca de 1:00 hora antes do parto é aplicado uma anestesia que alivia muito as dores, parece mais uma cólia forte que dor de parto.
    No parto normal vc corre menos riscos de hemorragias entre outros, a recuperação é bem mais rápida; com 7 dias eu já fazia toda a arrumação de casa e almoço.
    Eu só tenho pros em se tratando de partos normais.

    Abraços e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir